Pular para o conteúdo principal

Amigos Para Sempre

CREEPYPASTA

Por que você continua me procurando? Você não pode me encontrar se eu não quiser. Eu sou a noite... Mas mesmo assim, ainda estou aqui. Eu te vejo, tremendo enquanto anda pelo quarto. Você se contrai quando eu estou embaixo da sua cama, consegue me sentir.
Você sente minha respiração na sua nuca? Minhas unhas na sua pele? Você encontra meus olhos no meio da escuridão? Sim, você sabe que eu estou aqui. Eu sempre estive.
As coisas eram diferentes quando você era mais novo, seus pequenos olhos podiam

realmente me enxergar. Você gritaria, apontaria em minha direção, tentando se esconder atrás das barras do seu berço e continuaria a gritar até que sua mãe te tirasse de lá; só quando ela ligava a luz e trazia claridade para seus patéticos olhos que eu sairia de sua vista.
Isso não fazia muita diferença, assim que ela saia – e ela sempre saia – eu voltava. Você aprendeu rápido que chorar e espernear não me faria sair, então você decidiu me ignorar, fingir que eu não estava lá, mesmo quando meu cabelo gorduroso alcançava seu rosto, e minha respiração chegava em suas orelhas, você continuava a me ignorar. Se tornou muito bom nisso.
Eu tentei, claro, fazer você me notar. Pequenas coisas no começo, um sapato fora do lugar, brinquedos rolando pelo chão, uma janela aberta... Mas isso era fácil demais. Fácil demais de ser explicado.
Você se lembra do Fofinho? Aquele ser asqueroso que você gostava tanto? Aquele que sua mãe disse que havia fugido? Eu posso afirmar que ele não foi capaz de fugir para lugar algum quando eu acabei com ele. Você se lembra da Stacey? Aquela criança preciosa que dividia doces com você? Você sempre deu muita atenção a ela, nunca a ignorou. Eu a odiava, realmente uma pena aquele 
acidente... Que destino horrível uma pequena criança ser atacada por um cachorro raivoso, como eu ri ao ouvir sua mãe dizer aquilo. Cachorro raivoso! Ela não ficou com nenhum resquício de pele no rosto, sabia? Eu fiquei muito animado, o gosto do sangue, os gritos alcançando a minha orelha... Acabei me deixando levar.
E você continuou me ignorando.
Você ficou mais fechado depois daquilo, começou a passar horas no computador, trancado no quarto. Era ótimo no começo, nós estávamos mais próximos do que nunca. Você ficava acordado até tarde, e eu ficava atrás de você, observando você pesquisar qual seria a melhor maneira de acabar com a sua vida imunda. Você chegou a tentar uma vez, mas a corda acabou se partindo, consegue se lembrar? Bom, eu não podia deixar você simplesmente fazer aquilo, tão facilmente... Não podia deixar você simplesmente fugir de mim, eu decido quando você se vai; sua vida é minha e eu decido quando vou acabá-la.
Nada mudou desde lá. Claro, você tem um trabalho, se mudou, mas eu o segui. Você ainda se senta na frente daquele monitor todas as noites, gastando seu tempo, pensando em coisas sem sentido para que possa deitar na cama exausto e dormir sem precisar pensar ou ver nada antes de cair no sono.
Sem precisar ver quando eu resolvo me mover no seu quarto, quando você percebe meu olhar e sente um arrepio. Eu adoro esses momentos, você me esqueceu e mesmo assim eu ainda estou aqui.
Você acende a luzes, nos seus momentos mais corajosos, resolvendo me encontrar. Mas quando você desfaz a escuridão, eu vou junto. Eu sou a escuridão, eu sou a escuridão da sua alma.
Eu nunca vou partir, pelo menos não sozinho; qualquer noite dessas você vai me ver, eu e toda minha horrível e majestosa imagem, mas eu serei a última coisa que você vai enxergar.
Pois seremos amigos até o fim...

Postagens mais visitadas deste blog

Mini CreepyPastas

(1)As batidas
Eu acordei a noite ao ouvir algumas batidas no vidro.
Primeiro pensei que fosse da janela...mas percebi que as batidas vinham do espelho.


(2)cabelos Toda noite eu acordo pois me sinto sufocada pelos cabelos. Não entendo como pois sofro de câncer e faço quimioterapia a essa altura não tenho mais cabelos.
(3)minha filha ''não consigo dormir papai'', disse ela enquanto se arrastava para a minha cama. Acordei no dia seguinte, frio e segurando em minhas mãos o vestido cor de rosa em que ela foi enterrada.
(4)minha família cheguei em casa e encontrei minha esposa com nosso bebê. Não sei o que mais me assusta ver minha falecida esposa segurando nosso filho natimorto, ou saber que alguém invadiu meu apartamento para colocá-los lá.
(5)Em baixo da cama  enquanto eu coloco meu filho pra dormir, ele pede: ''mamãe, veja se tem algum monstro em baixo da minha cama?''  Eu olho para tranquilizá-lo, e vejo meu filho em baixo da cama. Ele sussurra para mim: '…

Terra Plana: Conhecendo A Teoria

Você certamente, quando ouviu falar da terra plana, pensou que isso é algo bobo e que não deveria dar nenhuma importância pois parece ser brincadeira. Certo? Bom não é bem assim que deveríamos reagir, há muitas perguntas que foram feitas para os "globalistas" que eles não conseguiram responder e que os "terras planistas" conseguem, e vice-versa, com isso acho que deveríamos pensar mais no caso, e questionar, esse é o ponto, devemos sempre questionar, não importa se parece ser bobo ou complexo, questione. 
  Vamos então dar inicio ao tema terra plana e conhecer mais sobre o assunto!! 

Modelo da Terra Plana


O modelo apresentado pelos os terras planistas consiste, obviamente, em uma terra plana, como um disco, onde o Ártico ou Pólo Norte fica no centro, e uma parede gigante de gelo (Antártida) que o circunda  inteiro e forma a circunferência. Ainda temos um Domo que cobre toda a terra, sendo assim não existe o ''espaço'', segundo eles, o sol e a lua ficam…

Os múltiplos fantasmas na praia de Guaratuba

O que eu vou contar aconteceu comigo (dona do blog) e com meus familiares a uns 5 anos atrás, na praia de Guaratuba, litoral do paraná. Então vamos ao relato.   Estávamos eu e minha família, total de 5 pessoas, passando as férias na praia,  então uma certa noite ninguém estava conseguindo dormir, pois estava muito calor e abafado, decidimos então dar uma volta a beira mar para sentir a brisa e se refrescar, não íamos entrar no mar nem nada era mesmo só para dar uma volta.   Pegamos nossas lanternas (detalhe: estavam totalmente carregadas) para iluminar nosso caminho e para não ter perigo de pisar em nenhum caranguejo ou algo do tipo. Chegando a beira mar, notamos varios trabalhos feitos por ali, creio que era pelo fato de ser em uma sexta-feira 13.   Começamos nossa caminhada normalmente, sei que andamos muito até decidir voltar, já estava bem tarde, por volta das 1/2 horas da manhã. Bom ainda na caminhada de volta para casa, nossa lanterna ou melhor dizendo nosso farolete (da queles be…